Se comemos muita comida ou comida que dá ao nosso corpo a informação errada, podemos ficar com sobrepeso, desnutridos e com risco de doenças e condições como artrite, diabete e doenças do coração.
Em resumo, o que comemos é fundamental para nossa saúde.
A comida age como medicina: mantém, previne e cura doenças.
O que a comida faz em nosso corpo?
Os nutrientes da comida permitem às células do nosso corpo exercerem suas funções necessárias. Essa citação de um livro popular descreve como os nutrientes na comida são essenciais para nossas funções físicas:
Nutrientes são as substancias da comida essenciais para o crescimento, desenvolvimento e manutenção das funções do nosso corpo. Isso significa que, se um nutriente não está presente, nossa saúde vai decair.
Quando a entrada de um nutriente não vai de encontro com a necessidade de nutrientes que as células precisam para cumprir suas atividades, o processo metabólico diminui ou até para.
Em outras palavras, nutrientes dão ao nosso corpo instruções de como funcionar. Nesse contexto, comida pode ser vista com fonte de “informação” para o corpo.
Pensando em comida dessa maneira temos uma visão da nutrição que vai além de calorias e gramas, comidas ruins ou comidas boas. Essa visão coloca nosso foco em comidas que deveríamos incluir na nossa alimentação e não quais excluir.
Ao invés de olhar para a comida como nossa inimiga, começamos a vê-la com um modo de ter mais saúde e reduzir as doenças através da maneira que a comida ajuda nas funções do nosso corpo.
Porque eu deveria me importar?
Os nutrientes nas comidas dão ao nosso corpo informações e materiais que eles precisam pra funcionar de maneira correta. Mas as nossas dietas diárias nem sempre proporcionam tudo que nosso corpo precisa.
Todos sabemos que precisamos ter um balanço básico de nutrientes diariamente. Mas nem sempre estamos conscientes que aquela dieta padrão carece de nutrientes. Além disso, algumas comidas processadas incluem gorduras alteradas quimicamente e açúcares que podem estar dando ao nosso corpo os sinais errados.
Qual é a conexão entre comida e doenças?
Como uma sociedade, estamos enfrentando problemas de saúde bem significantes.
Nossa disposição para trabalhar e produtividade estão reduzidas por problemas crônicos de saúde, incluindo depressão.
78% das despesas com saúde são para tratamentos de doenças crônicas.
Muitas pesquisas acreditam que parte desses problemas são relacionados com a nossa alimentação. Antes se acreditava que doenças como diabetes do tipo II, obesidade, doenças do coração, parada cardíaca e alguns tipos de câncer eram causados por mutações genéticas. Agora, atribuem essas condições a disfunções biológicas e a comida que comemos são um fator importante nessas disfunções. Em parte por causa da falta do balanço de nutrientes na nossa alimentação. 
Para prevenir o começo dessas doenças, precisamos saber como multiplicar os nutrientes na nossa alimentação afeta as funções do corpo.
A perspectiva da medicina funcional
Um componente da medicinal funcional foca em como a dieta impacta nossas funções vitais e nossa saúde. Quando os praticantes da Medicina Funcional examinam o papel da nutrição em doenças crônicas, eles olham para múltiplos sistemas, como o digestivo, sistema de imunidade, e o sistema de desintoxicação por causa da interconexão entre esses sistemas. Por exemplo, 80% do sistema imunológico está contido no sistema gastrointestinal, então, o problema de imunidade de uma pessoa poderia ser culpa da digestão.
A Medicina Funcional defende que doenças crônicas, quase sempre, precedem de um período de declínio na saúde em um ou mais sistemas do nosso corpo. Assim, os praticantes, buscam identificar cedo os sintomas que indicam disfunções ocultas e podem levar a doenças.
Uma das maneiras que a Medicina Funcional busca tratar do declínio da saúde é deixando que os alimentos e nutrientes necessários restaurem as funções. O custo é baixo, não é uma intervenção invasiva e tem fins de parar o progresso da doença.